quarta-feira, 29 de junho de 2016

O mundo em que vivemos, e aquilo que não queremos ver

As pessoas tem o hábito de dizer que as pessoas e/ou a humanidade as desiludem, ou surpreendem pela negativa.
Posso parecer fria, mas confesso que, desde uns anos para cá, essas expressões já não fazem parte do meu vocabulário.
Acho que a culpa de isso acontecer não está nas pessoas responsáveis pela desilusão das outras, mas naquelas que ainda acreditam que não se podem desiludir.
fonte
Pensem bem, vivemos num mundo, onde crianças são violadas por familiares, mulheres são espancadas só porque não tem a comida pronta a tempo e horas, animais são maltratados, os idosos são abandonados porque dão trabalho, e touradas dão em horário nobre.
A violência está constantemente entre nós, e os mais suscetíveis chegam mesmo a acreditar que isso é normal... Matar uma pessoa no transito porque esta lhe buzinou, abandonar um cão porque simplesmente ele fez xixi fora do sitio, ou ou bater num bebé porque ele passa muito tempo a chorar não é normal.
Porém é simples uma pessoa dizer que está escandalizada, mas porquê? Não vimos notícias dessas todos os dias? Porque é que em vez de perdermos tempo a admirar a maldade do mundo, não nos metalizamos que esta é a realidade, e que só nós, um passo de cada vez podemos mudar?
A admiração não muda mentalidades, mas os atos sim!
Pensem nisto!

segunda-feira, 27 de junho de 2016

A vida...

Existem três tipos de vida, aquela que nós pensamos que temos, aquela que os outros dizem que temos, e aquela que realmente temos.
A primeira e última podem estar ligadas, podemos e conseguimos ter algum controlo sobre a nossa vida, mas até que ponto ela é nossa?
Podemos estipular o nosso futuro, aquilo que queremos e como queremos. Podemos mesmo chegar a ter essa vida, mas o futuro é um grande ponto de interrogação e o amanhã pode ser passado.
fonte da imagem

Outra coisa que quase ninguém parece ver, é que todos os dias somos empurrados a não fazer aquilo que queremos com a nossa vida. Quantas vezes desejamos acordar mais tarde? Se a vida é nossa que mal é que isso pode fazer? Mas se chegarmos tarde ao trabalho e formos despedidos por isso, a nossa vida, tal como conhecemos e que até pode ser aquilo que sempre quisermos pode acabar ali.
Não somos campeões neste rali que pensamos dominar. A nossa vida é feita de escolhas, e muitas delas são decididas por fatores externos sem darmos conta.

sábado, 25 de junho de 2016

Ninguém morre de amor...

Ninguém morre de amor... Mas toda a gente sofre por ele, talvez porque o amor não é um exclusivo, talvez porque acaba e principalmente porque dói.
"Amor" foi a palavra que se encontrou para incluir vários sentimentos. Amar é gostar incondicionalmente, é amizade, carinho é tudo aquilo que nos faz feliz, é estar com a única pessoa com quem queríamos estar e sentirmos que estamos seguros num dia de tempestade. Amar é tudo isso e muito mais.
fonte da imagem
Então porque é que simplesmente deixa de existir? Por que é que simplesmente num determinado momento da nossa vida isso acaba e nos deixa vazios? Passamos de um copo cheio para um copo vazio sem qualquer tipo de conteúdo pelo meio. Amar é sentir nos extremos.
Quando o amor acaba é como se uma faca tivesse entrado pelas nossas entranhas cortando todos os tecidos e fibras do nosso ser. Ninguém morre de amor, mas toda a gente sofre por ele.
Quando os beijos tem que ser pedidos e os abraços roubados vamos morrendo até ao dia em que a verdade é como um murro no estômago e depois como um doente em estado grave desejamos morrer porque nos falta uma grande parte de nós... Aquela parte que era ele.
Maldito seja o amor, porque é que ele nos faz feliz e depois nos faz desejar nunca ter existido?

quinta-feira, 23 de junho de 2016

Hoje é noite de S.João...

Hoje é noite de S.João... E eu estou sem espírito para festas. Tinha planos para esta noite e agora esses planos não passam de ideias pensadas com amor e carinho.
fonte da imagem
Esta é uma das minhas noites favoritas do ano e este ano não quero festejar, não para já. Não quero festejar porque as ideias assaltam a minha cabeça e não me deixam ser feliz. Tenho muitas dúvidas, não sei o que se passou, não sei ao certo porque é que ele saiu de casa... Não sei se foi outra pessoa na sua vida, não sei porque é que ele foi tão frio para mim... Não sei se a culpa foi minha, dele ou das circunstâncias, mas sei que ele me magoou como nunca ninguém me tinha magoado antes.
Já curei muitas feridas, mas esta não me parece que vá ser tratada com um penso rápido, talvez precise de pontos...

terça-feira, 21 de junho de 2016

Ler, um hábito saudável

Sempre cresci rodeada de livros... Mesmo antes de saber ler, já a minha mãe me lia vários livros e quando dei conta tinha o vicio no corpo.
fonte da imagem
A leitura é um hábito tão saudável, como ter uma alimentação equilibrada ou ir ao ginásio.
Por isso tenho alguma dificuldade em aceitar que algumas pessoas simplesmente considerem uma perda de tempo ler.
Ler é uma das melhores maneira de abrir a mente e expandir horizontes e se nunca sentiram que iam mais além com um livro, pois bem das duas uma: ou vocês não sabem ler ou então não escolheram bem o vosso livro.
Ninguém deve desistir de ler porque leu um livro que não gostava. Ninguém desiste de comer salada porque não gosta de tomate. Da mesma maneira que as pessoas selecionam os alimentos que mais gostam o mesmo se aplica aos livros. O importante é conhecer os vários estilos e autores, eventualmente um estilo vai acabar por vos captar.
Conhecer e descobrir são as palavras de ordem para quem quer começar a ler... Para aqueles que já o fazem... Bem é algo que faz parte.

domingo, 19 de junho de 2016

Isto sou eu #01

Existem momentos em que o mundo tal como o conhecemos muda completamente. De um dia para o outro vimos a nossa vida mudar e não temos sequer opção de fazer nada para o evitar.
No passado dia 10 a minha vida mudou assim, repentina e dolorosamente. De um momento para o outro a vida que eu conhecia acabou e tive que recomeçar do zero. Voltei a ser a boneca de trapos, acho que nunca o vou deixar de ser por muito que tente.
Não aspiro a mais, também não desejo menos, apenas quero que as coisas passem rápido e que a dor acabe. Já sei que nunca vou descobrir a verdade, estou sem forças para a procurar. Tenho uma vida para refazer num mundo do qual sempre tentei fugir e mudar para melhor...
Como vai será daqui para a frente? Não sei o que fazer nem por onde começar. Quando a vida que conhecemos acaba não temos por onde começar.
fonte da imagem
Bem-vindos ao meu mundo! Bem-vindos ao meu novo (e já velho) blog!
© A Pequena Boneca de Trapos | Blogger Template by Enny Law